Palácio de Peterhoff

segunda-feira, 26 de setembro de 2011


Há um lugar para ser visitado nas proximidades da cidade que não deve ser esquecido: o Palácio de Peterhoff (ou Petrodvorets). Erigido por ‘Pedro o Grande’ junto ao Golfo da Finlândia, pode ser considerado como a resposta russa a Versalhes. A construção original foi erguida entre 1714 e 1725, mas posteriormente outras alas e pavilhões foram gradualmente anexados ao conjunto. Atualmente estão abertos à visitação dezenas de aposentos, com interiores ricamente adornados. Os jardins do palácio são decorados com estátuas, fontes, canais, cascatas, alamedas floridas e diversos recantos temáticos.

O eficiente sistema hidráulico que abastece as fontes dos jardins foi projetado no século XVIII pelo engenheiro Tuvolkov e, surpreendentemente, não necessita de bombas para ser operado.
A maior e mais bonita fonte de todo o parque, A Grande Cascata, prolonga-se por um grande canal, o Canal do Mar, até ao Mar Báltico. Ao longo dos vários hectares de parque, o Peterhoff tem mais de 120 fontes, todas elas de grande beleza. Todo o conjunto merece uma visita.

Durante a Segunda Guerra, Peterhoff foi seriamente danificado pelos bombardeios nazistas, o que pode ser conferido numa exposição fotográfica exibindo o estado deplorável do palácio. Apesar de todos os esforços, nada impediu que as tropas nazistas se instalassem em Peterhof em Setembro de 1941, onde permaneceram até Janeiro de 1944 e de onde prepararam o longo cerco a Leningrado. As forças ocupantes do exército alemão provocaram grandes destruições, especialmente depois do fim do cerco a Leningrado: foram derrubadas árvores centenárias nos dois parques; o Grande Palácio foi pilhado e incendiado; a Grande Cascata foi pelos ares; os Pavilhões de Marly, Monplaisir e Ermitage ficaram semidestruídos; fontes e cascatas quase desapareceram; e as esculturas que sobreviveram foram levadas para a Alemanha. Na realidade, foi muito pouco o que restou. Felizmente, pouco depois do fim da guerra foi iniciado um minucioso programa de restauro que conseguiu restituir ao conjunto o seu aspecto primitivo, voltando a ostentar a glória dos tempos imperiais, com seus belíssimos palácios e jardins. O ingresso somente para os jardins custa RUB 200 ou € 4,60. Para acessar o palácio, é mais caro: RUB 520 ou € 12.

Para chegar, pegue uma embarcação (valor por pessoa: RUB 250 ou € 5,80) no rio Neva, atrás do Museu Hermitage. São vários horários e a viagem é rápida. É preciso ficar atento somente ao horário de volta, para não perder o último que retorna a Petersburgo.

0 comentários:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget

Visitantes (últimos 7 dias)

Visite Blog RotaCinema

  • England is Mine - *País*: Reino Unido *Ano*: 2017 *Gênero*: Biografia *Duração*: 94 min *Direção*: Mark Gill *Elenco*: Jack Lowden, Jessica Brown Findlay, Jodie Comer e Laur...
    Há 2 horas

Postagens populares

Tags

Moscovo, Moscou, São Petersburgo, Leningrado, Petrogrado, Terra dos Czares, Rússia para brasileiros, dicas de viagem para a Rússia, blog Simone, viagem independente, Simone Rodrigues Soares.

  © Blogger template On The Road by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP