Museus e Palácios

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

O Museu Russo (próximo à Avenida Nevsky Prospekt) ocupa as dependências do que foi um dia o Palácio Mikhailovsky e foi transformado em museu da história russa em 1898, atendendo a um desejo da família real de criar um espaço destinado a abrigar tesouros russos, rivalizando assim com a Galeria Tretyakov, de Moscou. Aberto das 10h às 18h, fechado somente às quintas-feiras. Entrada a RUB 350 ou € 8. Ao lado, está o Museu Etnográfico, bastante interessante, que abriga dezenas de trajes típicos de todas as regiões do país. Entrada também a 350 rublos.


O Museu Hermitage é a principal atração turística da São Petersburgo. Nenhum outro local na Rússia e poucos no mundo têm coleções de arte tão preciosas quanto as que ali estão expostas. Construído entre 1754 e 1762, graças à czarina Catarina a Grande, seu acervo hoje chega a 2,7 milhões de peças (distribuídas em 3 andares), cobrindo um período que vai do Egito antigo até a Europa do século XX. Em destaque estão obras de Leonardo da Vinci, Michelangelo, Rembrandt, Van Gogh, Matisse, Gaugin e Rodin. O principal prédio do conjunto é conhecido com Palácio de Inverno, pois foi uma das residências dos czares russos.

O prédio do museu em si já é uma obra magnífica de arquitetura, chama a atenção pelas cores verde e branco, pelo estilo barroco, por suas dimensões e pela imponência. Ao todo o prédio tem 1786 portas, 1945 janelas e 1057 salões ricamente adornados. Reserve de duas ou três horas para apreciar suas principais coleções. O ingresso custa RUB 400 ou € 9,30; para fotografar paga-se mais RUB 200 ou € 4,60. Para soldados, veteranos de guerra, funcionários de museus, membros da união dos artistas e estudantes, a entrada é gratuita.


Em frente à Praça do Palácio de Inverno (Dvortsovaya Ploshchad) destaca-se a Coluna de Alexandre (Aleksandrovskaia Kolonna), sólido monolito de 600 toneladas e 50 m de altura, comemorativo da vitória de Alexandre II sobre as tropas de Napoleão Bonaparte. No topo da coluna situa-se um anjo segurando uma cruz, e consta que o rosto do anjo foi modelado de forma a reproduzir as feições do imperador.

A Praça do Palácio era o centro da São Petersburgo imperial, e além do palácio abrigava outros importantes prédios do regime imperial, como a Sede do Almirantado (Admiralteistvo), construída em forma de curva ‘d’, havendo em seu centro um imenso portal em arco.

Transformado em museu permanentemente ancorado na margem norte do rio Neva, em frente ao Hermitage, mas do outro lado do rio, está o Cruzador Aurora. Construído entre 1897 e 1900, participou da guerra russo-japonesa de 1904, mas sua fama principal deve-se à honra de, em outubro de 1917, ter dado o primeiro tiro contra o Palácio de Inverno, sinalizando o início da revolução que iria derrubar o governo provisório e levar os comunistas ao poder. Para ir ate lá, basta atravessar a ponte a pé (por ser próximo à água, o vento é bem frio) ou de ônibus circular (passagem a RUB 21 ou € 0,50. O passe dá direito a andar por 90 minutos. Se você for rápido, pode pegar outra condução sem pagar novamente.

Também do outro lado do rio, perto da Ponte do Palácio está o belo e imponente Kunstkamera (impossível não notar suas cores verde e branco constrastando com o azul do céu e das águas do rio Neva). Aberto das 11h às 18h, fechado às segundas e na última quinta-feira de cada mês. Primariamente famoso pela sala com a coleção freak show (show de horrores) de fetos humanos deformados, preservados em formol (não pode tirar foto). O resto do museu consiste de bugigangas de várias culturas (mais de um milhão de peças). Seu único atrativo é ser o museu mais antigo da Rússia, estabelecido em 1704 por Pedro, o Grande. Ingresso a RUB 200 ou € 4,60.

O Palácio Menshikov, em tom rosado, é uma das primeiras construções de pedra em São Petersburgo. Construído em 1721 para o primeiro governador de São Petersburgo, e antes dele, Pedro, o Grande, passou por uma restauração em 1970. Sua decoração é riquíssima, com ouro, mármore, qualidades preciosas de tinta, madeira e modelagem, esculturas clássicas trazidas da Itália, grandes espelhos de Veneza, lustres, tapetes e revestimentos de parede sedosos da China. Nele fica a coleção Hermitage, composta de materiais sobre a cultura russa do século XVIII, pinturas, esculturas, arte em geral e moedas. Aberto das 10h30 às 17h30; fecha às segundas-feiras. Próximo à  Catedral de Santo Isaac.

A leste do Palácio de Inverno, está o Palácio de Mármore, nome devido à decoração constituída por uma larga variedade de mármores policromos, originários de diferentes regiões; ao todo, foram usadas 32 tonalidades diferentes de mármore. Foi o primeiro palácio neoclássico da cidade.

O Palácio de Mármore foi construído pelo Conde Grigory Orlov, o favorito da Imperatriz Catarina, a Grande, e o mais poderoso nobre russo da década de 1760. A construção do palácio teve início em 1768, segundo os desenhos de Antonio Rinaldi, que previamente tinha ajudado na decoração do Palácio Reggia di Caserta, próximo a Nápoles.

Durante a era soviética, o palácio abrigou, sucessivamente, o Ministério do Trabalho (1917–1919), a Academia da Cultura Material (1919–1936) e o Museu Lenin (1937–1991). Atualmente, o palácio acolhe exibições permanentes do Museu Estatal Russo (instalado no Palácio Mikhailovsky), nomeadamente "Artistas Estrangeiros na Rússia (século XVIII e XIX)" e o "Museu Peter Ludwig” do Museu Russo, o qual apresenta telas de Andy Warhol e de outros ídolos da Pop Art.

Se tiver tempo, visite a Casa-Museu Dostoievsky, uma casa de esquina de 4 andares, com fotos, acessórios, roupas, móveis e obras do escritor. Em São Petersburgo, Fiódor Dostoiévski chegou a morar em mais de 20 endereços, mas um deles, em especial, se tornou a sede do Museu. Situada no encontro do beco Kuznechni com a rua que atualmente recebe o nome do escritor – Rua Dostoievski –, ali ele se instalou em 1846 e nela viveu até sua morte, em 09 de fevereiro de 1881. É fácil localizar. Numa pracinha próxima, onde costumava sentar para observar a Catedral de São Vladimir, há um monumento sem sua homenagem. Seu último livro, "Os Irmãos Karamazov" foi escrito neste endereço. Aberto diariamente, das 10h30 às 18h30. Entrada a RUB 80 ou € 2.



Perto dali, há um agradável e colorido mercado popular, que vende frutas, legumes, verduras, temperos, doces, carnes e peixes. Os doces (bastante variados) são vendidos em pequenas porções em potes. É comum as vendedoras darem ‘provas’ das suas guloseimas.

Atravessando a Ponte do Palácio em direção à Fortaleza de Pedro e Paulo, há o Museu Naval. O edifício da Bolsa de Valores Birja abriga hoje o museu, a peça central do conjunto da Strelka. Data de 1816 em estilo neoclássico. O Museu Naval, um dos maiores do mundo, contém displays históricos da Marinha Russa desde sua fundação até a atualidade, incluindo armamento, modelos de navios e, ainda, alguns mastros originais. Funciona das 11h às 18h, fechado somente às segundas-feiras. Ingresso a RUB 320 ou € 7,40 (para os russos é 90 rublos; a diferença dos preços é grande.

Ao longo do rio Neva, vê-se um longo edifício amarelo – o Yusopov Palace, que já foi residência da família Yusopov, rica e respeitada e que assistiu a um dos episódios mais dramáticos da história da Rússia: o assassinato de Grigori Rasputin. Em 1916, um grupo da elite nobre da cidade, incluindo um dos grão-duques e liderada pelo proeminente príncipe Felix Yusupov, conspirou para matar o homem que, segundo eles, ameaçava a estabilidade do Império, já devastado pela guerra russa. Camponês e autoproclamado santo, com poderes sobrenaturais, exerceu influência manipuladora sobre a família do Czar, inclusive em decisões importantes da família e do governante russo. Rasputin foi então assassinado no Palácio Yusupov, na noite de 16-17 dezembro de 1916.

0 comentários:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget

Visitantes (últimos 7 dias)

Visite Blog RotaCinema

  • Columbus - *País*: EUA *Ano*: 2016 *Gênero*: Drama *Duração*: 104 min *Direção*: Kogonada *Elenco*: Haley Lu Richardson, John Cho, Parker Posey e Michelle Forbes. *S...
    Há uma semana

Postagens populares

Tags

Moscovo, Moscou, São Petersburgo, Leningrado, Petrogrado, Terra dos Czares, Rússia para brasileiros, dicas de viagem para a Rússia, blog Simone, viagem independente, Simone Rodrigues Soares.

  © Blogger template On The Road by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP