Monumentos

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Além de São Petersburgo, esta cidade também já chamou-se  Petrogrado e Leningrado. Durante a Segunda Guerra, quando era Leningrado, atravessou seu momento mais difícil. Cercada pelas tropas nazistas, a cidade enfrentou um sítio de 900 dias e mesmo assim não se rendeu. Seus habitantes tiveram que superar frio polar, fome e doenças.

Sem eletricidade, suprimentos e permanentemente sob o bombardeio do exército de Hitler, a resistência de Leningrado entrou para a história como um dos maiores exemplos de determinação patriótica que se tem notícia. A única fonte de suprimentos surgia durante os invernos, quando o lago Ladoga congelava, o que permitia que veículos atravessassem a crosta de gelo e trouxessem alguns víveres básicos para a população.

Na época essa via de gelo ganhou o apelido de Estrada da Vida (Doroga Zhizni), pois foi ela quem permitiu que Leningrado não perecesse. Muitos, no entanto, se referiam a ela também como Estrada da Morte, devido ao grande número de baixas causadas entre os que tentavam furar o bloqueio. Mesmo assim, entre setembro de 1941 e janeiro de 1944, período do bloqueio nazista, Leningrado perdeu um milhão de habitantes, em grande parte, civis.

Foi em sua homenagem e a todos aqueles que sobreviveram que a cidade construiu, nos anos 70, o Monumento aos Defensores. Situado em Ploshchad Pobedy, uma das entradas de São Petersburgo, foi projetado pelo russo Sergei Speransky, e erguido no mesmo local onde as tropas nazistas foram detidas em seu avanço, a entrada sul de Leningrado. No interior do monumento, um grande salão apresenta uma exposição com a história daquele período dramático.

As Colunas Rostrais (em cor rosa) são outro símbolo da cidade. Construídas em 1810, são adornadas cada uma com seis rostras (tradicionalmente, as proas de navios capturados), simbolizando o poder da Frota Báltica Russa. Na base das colunas há esculturas representando os grandes rios da Rússia Europeia: Volga, Dnieper, Neva e Volkhov. Além do propósito decorativo, as colunas também servem como faróis náuticos, e até hoje suas chamas são acesas nos feriados. Uma delas pode ser vista do Hermitage, do outro lado do rio, próxima à Fortaleza de Pedro e Paulo. 



Foi Pedro, o Grande, primeiro imperador do Império Russo, quem construiu em 1703, na parte baixa do rio, na Ilha Zayachy, a 5 km do Golfo da Finlândia, a Fortaleza de São Pedro e São Paulo, que se tornou a primeira construção de tijolo e pedra da nova cidade. O czar foi importante na modernização e ocidentalização da Rússia, que já estava muito defasada em relação às potências ocidentais. Também deu ao seu país grande poder depois de derrotar a Suécia na Grande Guerra do Norte (1700-1721), marcada pela sua grande vitória na Batalha de Poltava (1709) e onde grande parte do exército sueco morreu. Próximo ao rio Neva, está um Cavaleiro de Bronze, monumento em homenagem a Pedro, o Grande.

0 comentários:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget

Visitantes (últimos 7 dias)

Visite Blog RotaCinema

  • England is Mine - *País*: Reino Unido *Ano*: 2017 *Gênero*: Biografia *Duração*: 94 min *Direção*: Mark Gill *Elenco*: Jack Lowden, Jessica Brown Findlay, Jodie Comer e Laur...
    Há 2 horas

Postagens populares

Tags

Moscovo, Moscou, São Petersburgo, Leningrado, Petrogrado, Terra dos Czares, Rússia para brasileiros, dicas de viagem para a Rússia, blog Simone, viagem independente, Simone Rodrigues Soares.

  © Blogger template On The Road by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP